“É preciso entender que cada um se refaz ao seu ritmo”, urge Samuel, vítima que sobreviveu ao terror no Bataclan

You may also like...

Leave a Reply